sexta-feira, 25 de março de 2011

I missed it all, I messed you up, I missed you.


— Florence, você vai se atrasar... — Disse sua mãe pela quarta vez.

Florence não ligava.
Ela nem queria ir a esse encontro ridículo.

— Já estou indo, mamãe. — Disse. Olhou sua imagem refletida no espelho e suspirou um suspiro de derrota.

Sua mãe sorriu ao vê-la. Ela estava linda. Aliás, quando Florence não estava linda?
Tinha as feições do pai. E o bom-gosto da mãe. Era uma mistura perfeita.

— Eu te deixo lá. — Disse a mãe.

— Não precisa, Alexia vai passar lá e a casa dela é aqui do lado. Tchau, mãe. — E pegou a bolsa e saiu.

Lá fora, suspirou mais uma vez. Sentou na grama do jardim e seus olhos verdes fitaram o céu. Aquela cena podia ser poética a outros olhos, mas para a ruiva era só mais um dia ruim. E por dia ruim, ela quer dizer mais um encontro arranjado com alguém. Como odiava isso.

— Se pelo menos Fred estiv... — Não terminou. Pensar em Fred doía.

Ouviu a voz de Alexia e sorriu. — Você está maravilhosa, Flor!

— Se pelo menos eu estivesse indo porque eu quero, acho que aceitaria o elogio. — Sorriu triste.

— Não pense assim, dona Florence. Você não sabe o que pode estar te esperando. Vamos.

E a ruiva passou o caminho todo até o restaurante implorando para Alexia ajudá-la. Mas a garota acreditava no amor mesmo que um amor de encontro arranjado e não deu ouvidos.

— Boa sorte. — Disse.
E foi embora.

Florence se via sozinha mais uma vez. Se Amélie estivesse lá, ela não teria deixado a amiga passar por esse encontro.

O problema é que Amélie não estava lá.
E pensar em Amélie doía.
Florece definitivamente precisava de um cigarro.

Ela o viu de longe. Uma cabeleira escura e cacheada, exatamente como disseram que ele seria. E aconteceu exatamente o que ela tinha medo de acontecer.
Ele era muito parecido com o Fred.
Ela não iria suportar.

A próxima cena que o garoto viu foi uma ruiva correndo para a praça da frente.

— Você está bem? — Disse uma voz masculina, colocando a mão no ombro de Florence. Ela pulou assustada.

Era o garoto do encontro.

— Sim. — Florence disse.

— Você não sabe mentir. — Disse o menino.

Mas porque diabos todos os meninos pareciam com Fred?

Ela não olhou o rosto do garoto.
Ver o rosto de alguém com os mesmos cabelos de Fred era demais.
Ver os mesmos cabelos de Amélie era demais.

Os gêmeos não deveriam tê-la deixado aqui.

Sozinha.

Eles sabiam o quanto ela era fraca.

— O que você quer? — Perguntou ela, ríspida.

— Você não é a garota que deveria se encontrar comigo? — Ele perguntou, confuso.

— Sou.

Pausa. Alguns carros passaram e acabaram com o silêncio.

— Mas então...

— Não vamos ter um encontro. — Florence falou, virando a cara.

— Então podemos ter um não-encontro. — O garoto disse, rindo.

Florence não riu. — Qual o seu nome?

— Fred. — Falou.

A voz era conhecida agora.

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Perfeito...encantador como sempre Sofia.

    ResponderExcluir
  3. Lindo, mesmo. E eu estou sentindo sua falta, muita.

    ResponderExcluir